sábado, 11 de junho de 2011

Eu nunca disse que meu coração era uma maria-mole fora da geladeira, nunca pintei meus defeitos e qualidades, nem menti sobre a ironia extravagante que borda meus dias. Mas você sabe que por mais que eu tente ser uma garota forte, falho sempre. É que dentro dos meus olhos sempre sobram emoções e jorram rios de lágrimas. Ah baby, eu nunca quis ser a mulher maravilha, nem de longe sonhei em me tornar de aço. Por trás dessa minha capa de má, existe ainda uma mocinha desprotegida pedindo colo. Me abraça, por favor me abraça forte. Assim posso estar presa em teus braços e dentro desse teu peito de pedra. Congela tua imagem de anjo em minhas pupilas. Deixa que o céu eu pinto com glitter e traço caminhos com nuvens em forma de letras. É tarde baby, sim eu sei. Deixa eu beber tua fala junto com toddy gelado. Vou digerir o açucar junto com teu beijo de bombom amor. Dá febre amar assim. Esse amor regado à sonhos de flautas e borboletas. Sejamos sinceros baby. Aqui dentro tem um coração que salta feito canguru quando você chega perto. Tua risada é a mais bonita do mundo. Sim, eu bebo tua alegria, disfarço quando tú cisma em querer impor normas nesse meu mundinho azul piscina. Eu quero enfeitar o clarão das manhãs com tuas mãos entre as minhas. Eu não quero ser garota do comercial de margarina, aqui na minha boca todo sorriso que brota é tão verdadeiro quanto as lágrimas que não disfarçam. Eu quero mais é ter lindas tardes, lindos sonhos e sentir a vida latejando no peito, como quem grita para o mundo todo ouvir. Te quero perto, quero cinema, pipoca, briga, abraço, beijo, big mac, coca-cola, quero o inteiro com você e esquece. Esquece o resto, que pra você, eu sou sempre a mesma. Eu tenho medo do escuro baby, mas com você eu fecho os olhos. Deixa eu ser aquela menina boba, com cara de porcelana, que te olha de um jeito tenso. É que teus olhos pousados nos meus, causam estranheza dentro dessa bagunça interna. Tem tanta bagagem que carrego aqui. Mas quando estamos juntos, levo apenas uma micro bolsa, onde tua foto encosta na minha e selamos nossa sina. Deixa eu ficar colada em teu corpo garoto. Essa semi felicidade nunca me agradou. Eu quero sentir as verdadeiras ciladas que o destino me preparou. Coloca uma música, viaja comigo, aqui tão de perto, parece real. As rosas que vieram com o cartão são lindas. Olho para o porta retrato na sala e te vejo de um jeito torto. Te concedo uma dança e te admiro mais uma vez e repito em silêncio, que o amor é você. E não tem ninguém que dê jeito nisso. Não existem palavras certas para essa desordem romântica grudada em meu peito. É você e pronto. Agora mais uma vez me abraça, dança comigo em volta da estante, existem sonhos grudados no teto, as estrelas imaginárias piscam em nossa direção. Ainda não encontro palavras pra dizer, gritar, exclamar, mas sei que é amor, eu sei, você sabe e isso está além do que se vê. Está nesse sentir desajustado gritando, pedindo mais, pedindo pra você ficar. E fique pra sempre, morando no conforto do peito, junto do meio termo da palavra amor.

Ju Fuzetto – amiga liiinda! Minha amora! Sempre com palavras maravilhosas, como canção pros nossos ouvidos! Te amo!



2 comentários:

  1. adorei seu blog

    tô seguindo...

    segue???


    http://meuryss.blogspot.com/

    Bjim

    ResponderExcluir
  2. oiiii!!

    obrigada!

    sigo sim!

    beijinho

    ResponderExcluir